Entrando no segundo trimestre da gestação 13 semanas de gravidez -, a barriga começa a crescer e a mulher já se sente mais disposta. A gravidez semana a semana traz novidades para a futura mamãe e aumenta o vínculo entre ela e o bebê.

Esse texto – continuação da Gravidez semana a semana: 12 semanas de gestação – tem o intuito de repassar importantes pontos sobre a evolução natural da gravidez e o desenvolvimento do bebê.

gravidez-semana-a-semana12

Azia na gravidez

Os enjoos e as náuseas podem começar a dar uma trégua com o início de um novo trimestre de gravidez. Por outro lado, uma sensação de queimação, que muitas vezes vai da garganta a boca do estômago, pode aparecer nesse estágio da gestação.

A azia na gravidez é causada pelas mudanças hormonais e, até mesmo, físicas do seu corpo. Ela, normalmente, surge no segundo trimestre de gestação. Entretanto, algumas mulheres se queixam desde o início.

Esse mal-estar pode provocar, além de dores no estômago, um gosto amargo ou ácido na boca. E é comum que ele acompanhe a gestante até o final da gravidez, passando somente depois que o bebê nasce.

Como o seu corpo está produzindo mais progesterona, o efeito desse hormônio relaxa os músculos do útero e também a válvula que separa o estômago do esôfago. Com isso, os ácidos gástricos, que trabalham na digestão, podem acabar subindo para o esôfago e gerando o mal-estar típico da azia.

O crescimento do útero também faz com que outros órgãos sejam apertados – principalmente, em fases mais avançadas da gravidez -, inclusive, o estômago e o intestino, o que faz com que a digestão fique mais lenta e o ácido gástrico suba para o esôfago.

Algumas pequenas mudanças de hábitos podem ajudar a aliviar a azia, como:

  • Evitar comer alimentos gordurosos e fritos;
  • Comer de três em três horas, para evitar a acidez no estômago;
  • Sem exageros nas refeições, coma poucas porções;
  • Mastigue bastante o alimento;
  • Evite alimentos com cafeína e os cítricos;
  • Evite se deitar após a refeição;
  • Não beba muito líquido durante as refeições;
  • Tente dormir em uma posição com as costas mais elevadas, como se estivesse semideitada;
  • Veja se algum medicamento que está tomando pode provocar esse mal-estar;
  • Busque auxílio clínico (médico).

Mudanças no corpo

Durante a gravidez, pode ser que apareça uma linha vertical e escura na sua barriga, bem no centro, próximo ao umbigo. É normal tanto ter essa linha como não a ter.

Na verdade, ela já existe no seu corpo, porém da mesma cor da sua pele. Poucos dias após o parto, a linha desaparece. Entretanto, em mulheres de pele morena e negra, é comum que ela demore mais a desaparecer.

Ainda pode acontecer que outras pigmentações e marcas surjam ou aumentem no seu corpo, como sardas, pintas e melasmas – manchas marrons em vários pontos do rosto.

Para evitar esse sintoma, é importante se consultar com um especialista.

Algumas pesquisas também indicam que a reposição, na medida certa, de ácido fólico pode evitar o surgimento dessas pigmentações. Ele pode ser encontrado em alimentos como: lentilha, fígado de galinha e boi, espinafre, feijão preto, entre outros. Não deixe de consultar o seu médico antes de iniciar qualquer reposição de nutriente.

Estresse na gravidez

Com o turbilhão de emoções que a gravidez provoca, é comum que a gestante fique um pouco estressada e tenha oscilação de humor. Entretanto, é importante tomar cuidado com o estresse excessivo e as alterações que ele causa no corpo da mulher.

Já são comprovados cientificamente os efeitos que o estresse pode causar no corpo humano, como mudanças no sono, apetite, aumento da pressão arterial, enfraquecimento do sistema imunológico, entre outros. Na gravidez, esses sintomas ainda podem ser prejudiciais para o desenvolvimento saudável do bebê, aumentando a chances, por exemplo, de um parto prematuro.

O estresse aumenta alguns hormônios no corpo, como o cortisol, que pode atravessar a placenta e atingir o bebê. Inclusive, aumentando o ritmo cardíaco do feto, o risco de alterações cerebrais e de transtornos, como: ansiedade, depressão, esquizofrenia (causada pela exposição repetida de cortisol), hiperatividade e dificuldade de aprendizado.

Diante disso, é muito importante que a gestante tente ao máximo ter uma gravidez tranquila. Para tanto, atividades físicas e uma boa alimentação podem ser ótimos aliados, ajudando a relaxar e ter mais disposição.

Desenvolvimento do bebê

O seu bebê já está do tamanho de uma vagem de ervilha, pesando 25 gramas e medindo 8 cm do bumbum a cabeça.

A partir dessa fase, você já consegue saber o sexo do bebê, dependendo da sua posição e da qualidade do aparelho de ultrassom. A chance de erro é de mais ou menos 20%. Por outro lado, se você aguentar segurar um pouco a ansiedade, nas 16 semanas de gestação é possível dizer com mais certeza o sexo do bebê, dependendo da posição em que ele estiver. Assim que você descobrir o sexo, já pode começar a pensar nos possíveis nomes de bebê.

Caso o seu bebê seja uma menina, ela já possui cerca de 1 milhão de óvulos – esse número vai diminuindo na medida em que ele for crescendo, sendo que a partir dos 17 anos, ela terá em torno de 200 mil óvulos.

Nesse estágio, o bebê já está formado e já possui impressões digitais. A cabecinha do pequeno tem metade do seu comprimento total e seu cérebro não para de se desenvolver. Até o final da gravidez, o corpinho irá dobrar de tamanho e criar uma proporção normal, comparada a cabeça, que ao nascer, será apenas ¼ do comprimento total do corpo.

Mudanças na rotina

Agora que a sua cintura está um pouco maior e o corpo ganhando mais a forma natural da gravidez, pode ser que você comece a se preocupar com o peso e com o medo de engordar. Esqueça as dietas severas e esse receio. O mais importante agora é seguir uma alimentação saudável e balanceada e não abrir mão de comer quando sentir fome e até dos desejos da gravidez. Só tome cuidados com o exagero e evite alimentos muito gordurosos e processados.

Você pode comer de tudo e ter uma gravidez saudável e tranquila!

Alimentação na gravidez: desejos

Sabe aquela hora que vem uma vontade louca por um alimento específico, o qual você nem gostava? Então, isso é normal durante a gravidez.

Muitas grávidas relatam desejos por comidas com combinações estranhas e até por alimentos que não gostavam antes da gestação. Não há nenhum estudo que comprove os motivos desses desejos, porém, eles podem ser, em parte, atribuídos aos hormônios, que também têm impacto no olfato e paladar durante a gravidez.

Ainda há um grupo de especialistas que acredita na relação entre esses desejos e a carência de algum nutriente, como se fosse um sinal do corpo.

O que você não deve fazer

Quando se está grávida é importante evitar algumas situações, como fazer alguma tatuagem no seu corpo. Inclusive, evitar as feitas com hena, pois elas, normalmente, são feitas com outros produtos químicos, não utilizando a hena pura, e ainda podem causar alergia na sua pele.

As tatuagens não são recomendadas devido a possíveis infecções e alergias que a tinta pode causar. Além disso, não há comprovação científica se ela pode afetar o bebê de alguma forma.

13 semanas: lista de atividades

  • Buscar uma dieta saudável e balanceada, com todos os nutrientes necessários;
  • Não se privar dos desejos da gravidez, porém, evitar os excessos;
  • Fazer atividade física e relaxar, para evitar o estresse;
  • Consultar o seu médico sobre os produtos que podem ser usados na pele durante a gravidez.

 

Veja a próxima semana: Gravidez semana a semana: 14 semanas de gestação.

Você também vai gostar destes conteúdos: