Nas 16 semanas de gestação, a sua barriga já mostra mais presença e também está mais pesada, podendo causar até uma dor nas costas. É fundamental acompanhar a gravidez semana a semana e entender quais são os sintomas e fenômenos naturais do seu corpo em cada um dos períodos.

Esse texto – continuação da Gravidez semana a semana: 15 semanas de gestação – faz parte de uma série de conteúdos com o intuito de informar as grávidas sobre a evolução da gestação e o desenvolvimento do bebê a cada estágio.

gravidez-semana-a-semana16

Cólicas na gravidez

As cólicas na gravidez andam te incomodando? Saiba que é normal senti-las durante a gestação. O crescimento do bebê e, consequentemente, do útero acaba pressionando veias, músculos e ligamentos, com isso, gerando esse desconforto chato.

Para tentar melhorar a dor, você pode mudar de posição, colocar os pés para cima e tentar relaxar. Não tome nenhum medicamento sem orientação de um especialista.

O médico deverá ser informado caso as dores venham acompanhadas de outros sintomas, como febre e sangramentos.

Se a dor for muito forte e acompanhada por um forte sangramento, busque auxílio médico imediatamente pode ser uma ameaça de aborto espontâneo tardio e você precisará dos cuidados e avaliação de um profissional.

Gases na gravidez

Outro possível motivo das cólicas são os gases na gravidez. Todas as pessoas possuem gases e, em média, soltam 15 arrotos ou puns por dia. É comum que essa quantidade aumente durante a gravidez, principalmente, devido ao aumento da progesterona no organismo. Esse hormônio é responsável pelo relaxamento dos tecidos do corpo, inclusive, desacelerando o sistema digestivo e causando esse mal-estar.

Alguns alimentos podem causar mais gases e a sensação de estar estufada, como leguminosas (lentilha e feijão), carboidratos, repolho, brócolis, entre outros. Diante disso, a mudança de hábito alimentar pode ajudar a aliviar um pouco o mal-estar. Exercícios físicos também podem ser ótimos aliados para combater os gases.

Fique atenta: caso tenha cólicas ou dores abdominais, somente de um lado do corpo, náuseas, enjoos, prisão de ventre ou diarreia, busque auxílio médico imediatamente. Esses sintomas podem indicar algum problema mais grave, até mesmo a pré-eclâmpsia.

Mudanças no corpo

Nesse estágio da gravidez, você já deve ter engordado em torno de 2 a 5 quilos. A sua barriga já começa a ter uma presença mais significativa e o útero está crescendo. Todas essas mudanças podem começar a sobrecarregar a coluna e você pode estar sentindo mais cólicas e dores nas costas.

Os músculos abdominais acabam ficando mais fracos na medida em que o útero cresce. Como esse fator modifica o centro de gravidade do corpo, ele impacta diretamente na sua postura também, forçando a coluna.

Para ajudar a não sofrer demais com as dores lombares, as atividades físicas são o melhor remédio. Busque se exercitar com frequência – com o auxílio médico e de um profissional.

Desenvolvimento do bebê

O seu bebê já está do tamanho de uma cebola, pesando em torno de 100 gramas e medindo 12 cm da cabeça ao bumbum.

Agora, o seu bebê já está mais agitado e mexe bastante os braços e as perninhas. Ele também já consegue brincar dentro da sua barriga e o cordão umbilical tem sido o seu brinquedo. Puxar, apertar e segurar são algumas das reações. Não é necessário se preocupar, pois ele não é capaz de se prejudicar ou ficar sem oxigênio – pode ser que ao apertar ele reduza a quantidade de oxigênio, mas não ficará sem – com essa brincadeira.

Daqui a pouco você já começará a sentir o pequeno se movimentar.

O bebê só cresce de tamanho e os sistemas circulatório e urinário já estão funcionando. As pálpebras estão fechadas e olhos se movimentam por debaixo delas.

Mudanças na rotina

A partir dessa fase, dormir de bruços parece impossível, não é mesmo? Com a barriga maior, essa posição pode incomodar um pouco. Deitar de costas, também não é muito aconselhável, pelo fato de aumentar a pressão sobre a veia cavavaso sanguíneo que leva o sangue para o coração. Essas posições também podem causar falta de ar, enjoos e sudorese fria.

Portanto, aproveite esse momento para buscar uma posição que seja mais confortável. Abuse dos travesseiros, inclusive entre as pernas. Estudos indicam que o melhor lado para se dormir é o esquerdo, pois, nessa posição, o bebê não comprime a sua veia cava.

O que você não deve fazer

É importante que a grávida siga a risca as recomendações do médico quanto aos medicamentos que podem ser consumidos. Aspirinas (ácido acetilsalicílico) e anti-inflamatórios, como o Ibuprofeno, não são indicados durante a gravidez. Estudos apontam que o uso da aspirina, em dose adulta, no início da gravidez, pode aumentar o risco de aborto espontâneo. Durante a gestação, doses altas desse medicamento podem interferir no desenvolvimento do bebê e causar até deslocamento de placenta.

Caso você tenha tomado esse medicamento em algum momento da gravidez, comunique o seu médico e não se preocupe. É pouco provável que uma dosagem baixa de aspirina afete o bebê de alguma forma.

Portanto, sempre busque o auxílio de um especialista antes de ingerir algum medicamento.

16 semanas: lista de atividades

  • Se ainda não marcou o ultrassom para saber o sexo do bebê, esse é o momento ideal;
  • Faça uma atividade física;
  • Busque uma posição confortável para dormir;
  • Evite alimentos que possam causar gases na gravidez.

 

Acompanhe o próximo estágio, a Gravidez semana a semana: 17 semanas de gestação.

Você também vai gostar destes conteúdos: