É importante que a grávida, desde o início da gestação, saiba e estude quais são os tipos de partos. Isso é importante para que ela entenda exatamente o que vai acontecer com o seu corpo nesse momento e quais as possibilidades do bebê nascer. Existe uma cultura, reforçada pelo senso comum, sobre a dor e, até mesmo, um medo sobre o Parto Normal. Nem todas as maneiras de se ter o bebê são doloridas e, atualmente, com o avanço da medicina, é possível assegurar a saúde da mãe e neném, bem como diminuir possíveis dores ou riscos.

Saiba como se preparar para um parto maravilhoso!

Ao todo existem quatro tipos de partos: natural, normal, assistido ou parto cesárea.

tipos-de-parto

Parto Natural

O parto sem intervenção nenhuma, que acontece espontaneamente, é chamado de parto Natural. Ele tenta ser o mais fisiológico possível, sem medicamentos, anestesias, analgésicos ou substâncias para acelerar as contrações.

Nesse caso, a mulher participa mais ativamente do nascimento do bebê, tendo um maior controle do seu corpo. Como parte desse processo, a mulher está mais suscetível a sentir dor e, até mesmo, desconforto e cansaço, considerando que não recebe nada para inibir essas sensações.

Por outro lado, as mulheres que optam por esse tipo de parto costumam ter ao final, uma experiência de superação e satisfação.

Esse tipo de parto também pode ser feito, com o acompanhamento de um médico, fora do ambiente hospitalar, conforme a vontade da gestante.

Parto Normal

O Parto Normal é bem próximo do Parto Natural. A diferença entre eles é que no Parto Normal são utilizadas possíveis intervenções durante o processo do nascimento do bebê. Nesse caso, podem ser aplicados analgésicos – para aliviar a dor -, anestesia e substâncias para acelerar o parto e as contrações.

Esse tipo de parto acontece no ambiente hospitalar, passando por todos os procedimentos e intervenções de rotina, como uso de sonda vesical, para esvaziar a bexiga, jejum de no mínimo seis horas, punção venosa permanente, entre outros procedimentos.

Outra diferença é a posição em que a mulher costuma ter o bebê. No Parto Normal, em geral, ela permanece deitada, de barriga para cima e pés elevados, sem poder caminhar ou ficar em uma posição que lhe der maior conforto. Já no Parto Natural e pela filosofia do Parto Humanizado, a gestante pode decidir qual a melhor maneira para ter o bebê, como ela se sente mais confortável.

Parto Assistido

Esse ainda é um tipo de parto vaginal, porém, é quando se usa o fórceps ou vácuo extrator (ventosa). Ele também é chamado de Parto Vaginal Operatório, pois são utilizados instrumentos para ajudar na extração do bebê no Parto Normal.

O fórceps possui duas partes alongadas e conectadas, sendo curvadas nas pontas, as quais encaixam na cabeça do bebê. Já o vácuo extrator é uma espécie de semicirculo de metal ou silicone preso a uma pequena bomba a vácuo. Ele é ajustado mais atrás da cabeça do bebê.

Atualmente, existe um grande medo por trás do uso desses instrumentos, principalmente, do fórceps. Quando ele começou a ser usado na prática obstétrica, era uma época em que a cesariana quase não existia. Hoje, esse instrumento é utilizado em casos muitos específicos, para beneficiar a mãe que está com uma grande exaustão e fazendo muito esforço para empurrar o bebê. Ou ainda quando o neném está em uma posição difícil de sair.

Ele é utilizado em casos bem pontuais, em geral, um a dois porcentos dos casos vão para partos vaginais operatórios.

O fórceps não é um instrumento proibido de se utilizar. Entretanto, é necessário muito critério para ser usado e desde que o bebê já esteja bem baixo, no canal de parto.

Parto Cesariana

O Parto Cesariana é uma cirurgia que significou uma evolução muito grande da ciência obstétrica. Ela permitiu salvar a vida de muitas mães e bebês, sendo que antes dela, isso não era possível.

Ao longo dos anos, a cesárea foi evoluindo, em termos de técnica e em riscos associados. Por outro lado, ainda é considerada uma cirurgia de médio porte, que se tem riscos maiores para a mulher e o bebê em comparação ao Parto normal.

Portanto, a cesariana, apesar de todos os benefícios que ela trouxe, não deve ser utilizada em mais de 15% das mulheres. Esse tipo de parto impõe uma recuperação pós-parto mais difícil e está associada a um maior risco de hemorragia e infecção.

Diante disso, ela não deve ser utilizada de maneira inapropriada, sendo necessária uma indicação, em que a mãe e o bebê esteja em situação de risco.

Parto Humanizado

Atualmente, o Parto Humanizado, Parto Ativo ou Parto Respeitoso vem sendo muito comentado pelas pessoas. Na verdade, ele não é um tipo de parto e, sim, uma filosofia de assistência ao parto, humanizado.

Nesse caso, a mulher é ativa no processo, decidindo e fazendo escolhas sobre o parto. Dessa forma, construindo essa experiência ao longo da sua gravidez.

Hoje, existe um movimento grande de mulheres que lutam pela humanização do parto. Isso significa colocar a mulher como protagonista desa experiência.

Nesse contexto, a gestante participa de todas as decisões e deve ser considerada em todas as escolhas. Como a escolha do local do parto, como irá acontecer, quem irá assistir, entre outros detalhes.

Locais para o parto

 

Assista os outros vídeos desse maravilhoso curso!

 

Já decidiu se você terá um Parto Normal ou Natural? Conta para gente quais o motivo da sua escolha!

Você sabe calcular a sua idade gestacional? Temos um texto que explica como calcular a idade gestacional e a possível data do parto.

 

Parto Normal: saiba como é e entenda os demais tipos de partos
5 (100%) 6 votes

Recommended Articles